Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Portugal padece de SPP e de SIDA

Portugal, há longos anos, sofre de dois síndromas: Síndroma do Paradoxo Português e Síndroma da Insuficiência Democrática Adquirida!

 

O Síndroma do Paradoxo Português caracteriza-se por tudo ser o contrário daquilo que aparenta.

 

Temos a Saúde que deve ser tendencialmente gratuita e o que vemos é ela ser cada vez mais paga, e bem paga!

 

Todo o cidadão tem direito à Justiça mas cada vez mais tem menos acesso à mesma, quer por demoras processuais quer por não se conseguir fazer justiça pelas leis que temos que não dão justiça ao cidadão!

 

O Ensino devia ser um equilíbrio entre os vários intervenientes em que cada um intervém de acordo com as suas competências, respeitando e aceitando as indicações dadas pelos técnicos competentes para o efeito, e não se sobrepondo aos mesmos.

 

Se olharmos para a nossa legislação, seja ela qual for (e não devo errar, mesmo vindo de quem é leigo na matéria e não leu as ditas!), depreende-se que Portugal deve ser o País do Mundo que mais igualitário é, que mais respeito pelas liberdades individuais tem, que é justo para aqueles que o merecem e duro para quem prevarica, que respeita a doença e diferença de cada um, e por aí fora.

 

Isso é a lei! A realidade é outra bem diferente!

 

Por exemplo, a lei diz que ambos os progenitores têm igualdade d e tratamento em caso de divórcio perante os filhos. Isso é a lei. A prática? As mães vêem ser-lhes atribuídas 84% das decisões relativas à entrega dos filhos!

 

Os Professores, os profissionais competentes e habilitados para avaliar por Universidades e Politécnicos reconhecidos pelo Estado, vêem as suas habilitações serem postas em causa pelos mesmos que os avaliaram, e ainda pagam para serem avaliados, e no fim ainda têm de pedir autorização a qualquer “iletrado” para as suas decisões (Planos de Recuperação e Necessidades Educativas Especiais)! Quer isto dizer que o Estado acredita mais num qualquer cidadão não habilitado do que naquele que ele mesmo habilitou!

 

Criam-se Decretos onde se diz que se encerram Serviços de Saúde porque não há doentes que justifiquem o serviço, mas no mesmo sítio nascem serviços iguais privados. Então se não há doentes para o público há para o privado?

 

Para onde caminha tudo Isto? Quem se responsabilizará pelo (des)futuro do nosso País e suas gentes?

 

Quem responderá pelos milhares de iletrados Licenciados e habilitados com o Ensino Secundário que estamos a criar?

 

A resposta é clara: TODOS NÓS! Porque depois teremos de pagar com impostos para os integrar numa estrutura social que não tem lugar laboral para eles pois nada sabem fazer a não ser esperar facilidades. Porquê trabalhar se até agora só trabalhava quando queria, no que queria e como queria? Porquê obedecer a indicações dadas se até agora não precisou de o fazer e até se dava ao desplante de responder mal e torto porque o professor (a) ainda levava na tromba (desculpem o francês… francês não, porque tb estamos assim, quiçá, pelo exemplo deles que seguimos e continuamos a seguir, pela democracia que se pretende impor a gentes que de democráticos têm muito pouco – já alguém viu crianças democráticas, mesmo aquelas do método escola moderna, onde elas aprenderam por imposição a seguir modelos criados por outros que não eles mesmos?!)?

 

O Síndroma da Insuficiência Democrática Adquirida pouco precisará de ser dito! Caracteriza-se por ausência de respeito pela vontade de quem elege, falta de lateralidade posicional, perda de visão periférica com cegueira progressiva até à escuridão, teimosia mascarada de obstinação, capacidade de decisão com falta de liderança, e exercícios de exaltação Nacio … Pessoal sobre aquilo que foi feito.

 

Com isto tenho de concordar que os sistemas mencionados no primeiro Síndroma se enquadram perfeitamente com este, pois estamos a produzir ditadores que substituirão e manterão o Estado de coisas após o desaparecimento de certas figuras. Um Ditador não quer ditadores que o deponham, mas quer fazer o culto da personalidade de modo a que a juventude o siga e perpetue famílias no poder.

 

Claro que esqueci de dizer que ambos os Síndromas não têm cura possível, pese embora muitos a procurarem e anunciarem de tempos a tempos, mas este vírus está em constante mutação e multiplica-se com a rapidez da muda de cartazes e com os momentos eleitorais…

 


publicado por Pedro Santos às 14:15
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Adicionar como amigo

. 1 seguidor

.Visitas bemvindas

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.O que escrevo

. O ataque ao direito ao tr...

. E o decreto-lei 132/2012,...

. Mutualização da dívida do...

. Um pensamento sobre o sub...

. A crise e a poupança

. Uma análise à crise portu...

. Se eu fosse Primeiro Mini...

. O Minsitério da Educação,...

. O Excessso de Zelo

. O 5º Congresso Educação

.Portas para outras dimensões

.Quem me liga

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

.Procure(a)

 

.Portas para outras dimensões

SAPO Blogs

.subscrever feeds