Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007

O português só está satisfeito com aquilo que paga directamente.

A escola pública só será respeitada quando for paga. Só lhe será dado o devido valor quando virem que há um efectivo pagamento, e quanto custa tomar conta das nossas crianças e dos seus filhos.

Não concordo com isto, mas vejo a relação que os pais têm com os privados e vejo a desconsideração com o que é público.

O mesmo se passa com tudo o que é público, desde a saúde à justiça, passando pela escola.

É triste, mas é assim!


publicado por Pedro Santos às 19:13
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Adicionar como amigo

. 1 seguidor

.Visitas bemvindas

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.O que escrevo

. O ataque ao direito ao tr...

. E o decreto-lei 132/2012,...

. Mutualização da dívida do...

. Um pensamento sobre o sub...

. A crise e a poupança

. Uma análise à crise portu...

. Se eu fosse Primeiro Mini...

. O Minsitério da Educação,...

. O Excessso de Zelo

. O 5º Congresso Educação

.Portas para outras dimensões

.Quem me liga

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

.Procure(a)

 

.Portas para outras dimensões

SAPO Blogs

.subscrever feeds