Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Procuro

Sentei-me no teu colo

Olhei para o lado

Vi a tua sombra

Qual animal alado.

 

As asas abertas…

nos braços fechados!

A mente desperta…

nos olhos cerrados!

 

Agora que estamos juntos

Ai! Estamos separados

O que deverei fazer para nunca te perder

Ficarmos para sempre amados.

 

Ando à procura de um pouso p’ra descansar

Ando à procura de um ninho para amar

Ando à procura de um sítio além-mar

Ando à procura, enfim, de sonhar.

 

Encontrei-te sozinha

sem falar

Abri a minha mente

a esse novo despertar.

 

Voltei para dentro

P’ra segurança do lar

Vi-te no entanto aqui a caminhar.

 

Ando à procura de um pouso p’ra descansar

Ando à procura de um ninho para amar

Ando à procura de um sítio além-mar

Ando à procura, enfim, de sonhar.

tags:

publicado por Pedro Santos às 22:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

Angel of the dark light

Angel of the dark light

That in lights our dark path

With your diffuse glow

Show us all your might

So we can grow.

 

Fly above our heads

Cover us with your sorrow

Allowing the truth in our hearts

Emerge like an arrow.

 

It’s a painful truth

An ugly and undesired pain

The one that shows us all

How dark is our brain.

 

We fool our selves

With a masked fantasy

Human live like gods

But act like crazy.

 

We condemn everyone

When they fail on us

But we are the first

Who enter the same bus.

 

The ride is happy

The driver is fun

But it all end

When everybody come(s).

tags:

publicado por Pedro Santos às 00:08
link do post | comentar | favorito

OH!...

Os portais que se abrem são os mesmos que se fecham a cada nova investida.

As dores que deveriam ser absorvidas enchem-nos de dor.

Os odores que exalamos atraem, mas repelimos quem chega.

Quem fala permanece calado nas vulgaridades do discurso.

O silêncio que se escuta é sinal da gritaria surda que nos envolve.

As opiniões que emitimos não se ouvem, perdendo-se no eco das escadarias.

A segurança que proporcionamos esvanece-se na certeza das convicções.

A força bate-se com a fraqueza que se lhe aparece a cada esforço.

A fraqueza fortalece-se na fraqueza de tal força desmedida.

A besta embala a bela que esmorece ante tal brutidão.

A brutidão torna-se cândida nas mãos de quem o é.

Os Homens dominam a besta que há em si para serem dominados por ela.

Haja franqueza onde se vislumbra o cinismo.

Haja cinismo na lide dos cínicos.

Hajam clínicos, hajam mímicos, hajam enfim outros que não satíricos.

Hajamos nós, hajam eles, ajamos nós.

Corramos todos parados em círculo para o centro.

Fujamos do centro para a periferia do mesmo que nos absorve.

Olhemos a luz que nos cega na escuridão da certeza.

Prometamos o Céu e entreguemos a Terra.

Entreguemos a Terra a quem quer o Céu.

Subamos a deuses pois eles são-no na Terra.

Fujamos para lutar, lutemos para fugir.

Para onde poderemos ir?...

tags:

publicado por Pedro Santos às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Nasci

NASCI

SOU CRIADO E GERADO NESTE LOCAL ERMO

UMA RUA UMA CIDADE

A SOLIDÃO E A PAZ

SEM PONTA DE MALDADE

NO CORPO PEQUENO DE CABEÇA GRANDE.

CRESÇO

AS MANHÃS SUBMERSAS

NA NÉVOA DA PRIMAVERA

FAZEM LEMBRAR O VERÃO

NESTA CABEÇA INFANTIL.

CHORO

PORQUE QUERO VESTIR O VERÃO

MESMO ESTANDO UM FRESCO GÉLIDO

ESQUEÇO

PORQUE NÃO TENHO VONTADE...

AINDA.

tags:

publicado por Pedro Santos às 12:13
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

O Tempo

O Amor é feito de Tempo

O Tempo constrói o Amor

Fazemos coisas com o Tempo

Que nos trazem dor.

O Amor com o Tempo

Pode-se transformar

Nunca se extingue

Mas deixa-nos a duvidar

Porque será que cresce

Em vez de minguar?

Mas o Tempo traz novidades

O que era certo

Deixa-nos saudades

Mas quere-lo-emos sempre por perto?

O Tempo mostra os acontecimentos

As questões e as decisões

O Amor mostra os sentimentos

Arrasa com os corações.

Porque não volta o Tempo para trás

E se junta novamente ao Amor?

tags:

publicado por Pedro Santos às 15:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Ser

UMA VIDA É UMA VIDA

CADA UMA É ÚNICA E SINGULAR

IRREPETÍVEL E IMPOSSÍVEL DE CLONAR

A BELEZA DA VIDA

É PODER RECORDAR E SONHAR

COM AQUILO QUE PODERIA TER SIDO.

A EXPERIÊNCIA DA NÃO REALIZAÇÃO PASSADA

É O CUMPRIMENTO DAS ROTAS TRAÇADAS

NAS CARTILHAS DO TEU DESTINO.

PODES SEMPRE NEGOCIAR COM ELAS

REESCREVÊ-LAS PARA O FUTURO

MAS NUNCA APAGAR O PASSADO.

É ELE QUE TE PODE PERMITIR ESSE AJUSTE

SE O RENEGAS NÃO TENS FUTURO

SEGUE-TE E PERSEGUE-TE INCESSANTEMENTE

ATÉ O ACEITARES.

PROCURA O TEU FUTURO NO TEU PASSADO

E ENCONTRA-TE NA FELICIDADE.

tags:

publicado por Pedro Santos às 15:48
link do post | comentar | favorito

Origem

NASCI

SOU CRIADO E GERADO NESTE LOCAL ERMO

UMA RUA UMA CIDADE

A SOLIDÃO E A PAZ

SEM PONTA DE MALDADE

NO CORPO PEQUENO DE CABEÇA GRANDE.

CRESÇO

AS MANHÃS SUBMERSAS

NA NÉVOA DA PRIMAVERA

FAZEM LEMBRAR O VERÃO

NESTA CABEÇA INFANTIL.

CHORO

PORQUE QUERO VESTIR O VERÃO

MESMO ESTANDO UM FRESCO GÉLIDO

ESQUEÇO

PORQUE NÃO TENHO VONTADE...

AINDA.

tags:

publicado por Pedro Santos às 15:47
link do post | comentar | favorito
Sábado, 20 de Outubro de 2007

O que quero

Quem sou?

Para onde vou?

Quem procurar?

Quem visitar?

Os lugares já conhecidos talvez

Mas o que realmente quero

São os lugares da mente

Jamais percorridos

Jamais conhecidos

Inerentes a cada um

Sem visão nem futuro

Só o fim do princípio.

tags:

publicado por Pedro Santos às 13:41
link do post | comentar | favorito

Introspecção

Cheio de esperança

Fui de encontro à ilusão

De ser puro de coração,

De ser criança.

Que sentido tem esta vida?

Quando era novo nada interessava,

Nem miúdas nem praia,

Nem copos nem noitadas,

Só a vida passava.

Agora que cresci

Sou criança na mesma,

Descobri que não vivi,

Não encontrei o meu lema.

Continuo parado a pensar

Estagnado por inércia

Sem ter para onde ir

Sem dinheiro para gastar.

Não sei o que fazer

Não sei para onde vou...

tags:

publicado por Pedro Santos às 13:35
link do post | comentar | favorito

Quem somos

Ele veio me ver

E ficou para se rever

Ainda miúdo eu era

E adulto tive de ser.

Bem me diziam

“és mais velho do que és”

Pudera, possuído estava

Por esse alguém

Que de mim gostava

E viera me ver.

Agora sei o que sou,

Agora sei o que virei a ser,

O embrião da revolta,

A cabeça do monstro da mudança.

Estou destinado,

Aos vinte e quatro sou começado,

Na sua morte eu fui gerado,

Eu sou o seu braço direito,

Vivo e carregado de pecado.

Carrego a sua maldição,

Também sua benção,

De ser igual a tantos outros

E ser diferente de outros tantos mais.

É bom e mau,

Herói e vilão,

Consoante a mente

Consoante a oração.

tags:

publicado por Pedro Santos às 13:32
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Adicionar como amigo

. 1 seguidor

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.O que escrevo

. Procuro

. Angel of the dark light

. OH!...

. Nasci

. O Tempo

. Ser

. Origem

. O que quero

. Introspecção

. Quem somos

.Portas para outras dimensões

.Procure(a)

 

.Portas para outras dimensões

SAPO Blogs

.subscrever feeds